Ir direto para menu de acessibilidade.


Página inicial > Notícias > Arraial de Todos Santos abre espaço para o trabalho de dança inclusiva do Curro Velho
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Arraial de Todos Santos abre espaço para o trabalho de dança inclusiva do Curro Velho

  • Publicado: Quarta, 29 de Junho de 2016, 15h21
  • Última atualização em Segunda, 04 de Julho de 2016, 08h41
  • Acessos: 1478
imagem sem descrição.

A programação junina da Fundação Cultural do Pará (FCP) traz nesta sexta-feira, 1° de julho, a quadrilha “Do Nosso Jeito”. O grupo é composto por 25 integrantes que desde o começo do ano participam das oficinas de dança inclusiva do Núcleo de Linguagem Corporal do Curro Velho, ministradas na Casa das Artes. A apresentação será na Praça do Povo, às 19h30, com entrada franca.

Segundo a técnica em Gestão Cultural em Artes Cênicas, Thays Reis, que há mais de 10 anos trabalha com dança inclusiva, essa é a primeira vez que uma quadrilha junina é formada com alunos portadores de deficiência. “Nosso objetivo sempre é promover a inclusão, contemplando a arte e cultura. Trabalhar essas duas vertentes com nossos alunos é fundamental, em especial nesse período junino que é tão rico em manifestações. E claro que o Curro Velho não poderia ficar de fora”, completa Thays Reis.

Ela ressalta também a importância do trabalho desenvolvido pela Fundação com as oficinas de dança inclusiva. “A Fundação está desenvolvendo seu papel social, de incluir as diversas expressões da arte na vida dos alunos. Não queremos que a arte exerça um papel terapêutico, mas, sim, mostrar que todos tem talento e precisam de uma oportunidade para mostrá-lo”, diz.

Ainda na programação, vários grupos folclóricos se apresentam na Praça do Artista, entre eles o “Cordão dos Pretinhos” de Santarém Novo, região nordeste paraense. Formado somente por homens, que se dividem em duas fileiras, compostas pelos “pretinhos” e “pretinhas” (meninos vestidos de mulher), a manifestação cultural é uma das mais antigas e importantes do município.

Os Pretinhos existem desde o começo do século XX e sempre no mês de junho promovemseus festejos, com diversas danças e cantorias ao som de instrumentos rústicos como tambores de couro, reco-reco e triângulo. “A euforia é grande, estamos com muitas expectativas para fazer um grande show no Arraial. Essa oportunidade que a Fundação Cultural do Pará nos deu é muito importante, pois nos permitirá mostrar um pouco da nossa cultura, que é rica”, afirma o coordenador dos Pretinhos, Kzan Marques.

registrado em:
Fim do conteúdo da página