Ir direto para menu de acessibilidade.


Página inicial > Notícias > Novas oficinas orientam grupos de Pássaros e Bichos Juninos
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Novas oficinas orientam grupos de Pássaros e Bichos Juninos

  • Publicado: Terça, 05 de Maio de 2015, 16h14
  • Última atualização em Sexta, 25 de Dezembro de 2015, 04h04
  • Acessos: 1089

A Casa das Artes, da Fundação Cultural do Pará (FCP), continua no mês de maio com seu projeto de aperfeiçoamento de artistas e brincantes dos cordões e grupos teatrais juninos, por meio de encontros e práticas culturais, sob a inspiração da estética e do conteúdo deste folguedo representativo do teatro popular paraense. A parte prática do projeto recebe o nome de “Laboratório de Transmissão do Saber-Fazer: Teatro de Pássaros e Bichos Juninos” e traz duas oficinas realizadas no mês de maio.

A diretora e professora teatral Ester Sá ministra a oficina “Exercícios Teatrais para os Brincantes da Cena”, com duas vagas por grupo participante, no período de 5 a 8, no horário das 14h às 17h, no auditório da Casa das Artes.

Já Lúcia Lobato, graduada em Moda e Estilismo, ministra “Croquis e Harmonia de Cores” para costureiras e bordadeiras, no período de 11 a 15, no horário das 15 às 18h, no Laboratório de Moda da Unama, também com duas vagas disponíveis por grupo.

Participam do projeto os Pássaros Juninos: Beija-Flor (Guamá), Papagaio Real (Pedreira), Sabiá (Canudos), Tem Tem (Guamá), Rouxinol (Pedreira), Tucano (Telegrafo), Tem (Mosqueiro), Bem-Te-Vi (Sacramenta) e Ararajuba (Mosqueiro). Os Cordões de Pássaro são Pipira da Água Boa (Outeiro) e Tangará. Já os Cordões de Bicho são Bigodinho da Brasília (Outeiro), Oncinha (Icoaraci), Bacu (Icoaraci), Jaquinha e Bem -Te-Vi (Outeiro).

“Esse projeto foi a melhor coisa que nos aconteceu, desde que começou com o antigo IAP. Tudo é difícil para nós e, além de nos fornecer material para confeccionar tudo o que precisamos, ainda faz essa interação entre os grupos. Isso nos deixa muito feliz, nos dá uma grande satisfação”, declara Iracema Oliveira, 78. Ela começou no Pássaro Junino Tucano, do Telégrafo, aos 7 anos de idade, como porta-pássaro, e se diz orgulhosa de dar continuidade a essa história com o apoio da Casa das Artes.

Os interessados em participar das atividades podem procurar a Casa das Artes (Antigo IAP) ao lado da Basílica Santuário. Informações pelo telefone 4006-2900.

registrado em:
Fim do conteúdo da página