Ir direto para menu de acessibilidade.


Página inicial > Notícias > Casarão Fotoativa recebe exposição “Recódigo - Paisagem Hackeada” de Italo Brito
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Casarão Fotoativa recebe exposição “Recódigo - Paisagem Hackeada” de Italo Brito

  • Publicado: Quarta, 15 de Novembro de 2017, 12h32
  • Última atualização em Quarta, 15 de Novembro de 2017, 13h40
  • Acessos: 862
imagem sem descrição.

O projeto “Recódigo - Paisagem Hackeada”, que demonstra por meio do olhar do artista e pesquisador paraense Italo Brito, os limites físicos da imagem técnica, transitando as fronteiras entre o analógico e o digital, ganha exposição no Casarão da Associação Fotoativa, localizado na Praça das Mercês, com abertura nesta sexta-feira, 17, às 19h. A mostra continuará aberta ao público para visitação até o dia 21 de dezembro de 2017.

Selecionado no Prêmio Produção e Difusão Artística 2017, do Programa Seiva, de incentivo à arte e à cultura, promovido pela Fundação Cultural do Pará (FCP), com trabalhos de imagens digitais e impressas, apresentados em diferentes formatos, passando por diferentes tamanhos, tipos de papéis e mídias alternativas, a exposição é resultado de uma linha de pesquisa de caráter experimental, desenvolvida ao longo de dois anos, reunindo uma série de experiências, com motivação principal na construção poética no campo da fotografia contemporânea.

A pesquisa teve como base processual a desconstrução e criação de dispositivos produtores de imagens, onde foram utilizadas câmeras fotográficas analógicas e digitais, smartphones, scanners, aparelhos e componentes eletrônicos, dos quais muitos já haviam sido descartados por obsolescência ou estavam sendo vendidos como sucata.

Segundo o artista Italo Brito, as imagens produzidas trazem em sua visualidade as mutações, falhas e ruídos provocados pela transposição de suportes e a subversão dos aparelhos. “Muitas assimilações e contágios foram provocados pelo cruzamento entre as diferentes tecnologias. Esta fusão, quase sempre precária, contribuiu para potencialização de uma poética do acaso e suas errâncias, lugar onde pude assumir uma abordagem crítica sobre a produção das imagens técnicas e seus modelos industriais”, comenta.

Italo Brito explica que o conceito da exposição gira muito em torno dos acasos, acidentes e das imperfeições das imagens, onde, o próprio espaço (Casarão Associação Fotoativa) dialoga com as obras. “Espero que a exposição atraia a atenção das pessoas, somos carentes de outros olhares, não somente do público das artes, mas também de outras áreas. Fico feliz em expor. É uma oportunidade de mostrar um trabalho que demorou muito tempo pra ser montado, pra ser resolvido” comemora.

Para o artista, o Prêmio Produção e Difusão Artística 2017 do Programa Seiva da FCP, do qual foi contemplado, é essencial. “O Prêmio é fundamental pra gente que é artista e precisa de recursos. Principalmente para aqueles que estão iniciando e precisam estabelecer uma relação com os espaços e as pessoas. O programa Seiva e todos os prêmios que a Fundação Cultural do Pará oferece dentro das artes, são muito importantes”, finaliza.

Para a abertura, a exposição contará ainda, com uma intervenção em vídeo que irá complementar a experiência do público convidado. Todos os trabalhos estarão sendo comercializados, a preços promocionais.

A exposição tem a curadoria da também artista visual Roberta Carvalho.

Currículo

Italo Brito é artista e pesquisador paraense desenvolveu sua vida profissional na área criativa como designer, fotógrafo e artista visual. É graduado em Letras pela UFPA e Designer - Especialista em Fotografia como Arte Contemporânea pelo Senac São Paulo.

Em 2016 foi selecionado para 15º Salão de Arte Contemporânea de Guarulhos. No mesmo ano participou da 3ª Mostra Senac da Pós-graduação do Senac. Em 2015 participou da exposição coletivado Festival de Fotografia do Sertão. Em 2014 foi contratado pelo Cenpec - Centro de Pesquisa, Educação, Cultura e Ação Comunitária para desenvolver projeto artístico e consultoria artística no Programa Jovens Urbanos, resultando na exposição: “Território” no Matilha Cultural (2014) e no Centro de Cultura da Cidade Tiradentes (2015).

Seus trabalhos envolvem a desconstrução e construção de dispositivos captadores de imagem e exploração de tecnologias móveis - entre outras - buscando alterações no processo de formação da imagem técnica a partir da modificação e fusão de tais dispositivos, atento aos ciclos de recodificação das imagens em seu contexto tecnológico/contemporâneo.

 

Serviço: Exposição Recódigo – Paisagem Hackeada

Abertura: 17 de novembro de 2017 (Sexta-feira)

Hora: 19h.

Local: Casarão Associação Fotoativa (Praça das Mercês, 19 – Campina)

Visitação até 21 de dezembro

Mais informações: 91 98872-8202

registrado em:
Fim do conteúdo da página