1 2 3 4

Irradiando Vida

Comitê Arte Pela Vida

No dia 9 de Agosto de 2023 ocorreu a abertura da exposição “Irradiando Vida" do Comitê Arte pela Vida, selecionado no Prêmio Branco de Melo 2023. A mostra apresenta obras de 55 artistas e tem curadoria de Vânia Leal e Eduardo Vasconcelos.

Todas as obras exibidas são fruto de doações com fim de contribuir para a importante causa social abraçada pela ONG, que atua desde 1996 na assistência e apoio a pessoas vivendo com HIV/Aids no Estado do Pará. Sendo assim, sua expografia, além de mostrar em suas obras o cotidiano Amazônico, busca transmitir coletividade, igualdade e união na luta pela vida. Unindo a Arte a uma causa que é ignorada pela sociedade paraense e que precisa ser tratada com atenção e afeto. Dentro desse contexto, a exposição exibe suas lutas desde a seleção dos artistas, que contam com representatividade negra, feminina e LBGTQIA+ que são, de sua maioria, amazônicos, até a escolha de dois curadores para reforçar o trabalho coletivo. 

Em sua abertura foram entregues Flores de luz, que são vistas pelo Johrei, método de canalização de energia espiritual, como uma maneira de harmonizar o ambiente e se interliga diretamente com o símbolo da ONG, o Girassol. Quando há dias em que o sol não aparece, os girassóis se viram para si e trocam suas energias para se aquecerem, dessa forma, com senso de comunidade, os artistas, curadores, organizadores, montadores e monitores se juntam voluntariamente para acolher pessoas que convivem com HIV dentro da Amazônia, juntos eles formam resistência.

É evidente a relação entre a Exposição Irradiando Vida e a História do Comitê Arte Pela vida, que nasce no dia 26 de agosto de 1996, em uma reunião de jornalistas que se unem em prol de um amigo que precisava de tratamento para HIV/Aids. A iniciativa cresceu e ganhou força, o objetivo agora era ajudar mais pessoas. Com isso, sempre através da Arte, foi realizado o primeiro evento beneficente pelo Comitê, um show no dia 1 de Dezembro daquele mesmo ano no Theatro Margarida Schivasappa, sediado na Fundação Cultural do Pará.

Atualmente a ONG atua na arrecadação de fundos através de baazar’s, eventos, exposições e cafés de acolhimento, mostrando que com a Arte é possível salvar vidas.