Ir direto para menu de acessibilidade.


Página inicial > Notícias > Debate sobre incentivo a leitura abre o III Encontro de Bibliotecas
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Debate sobre incentivo a leitura abre o III Encontro de Bibliotecas

  • Publicado: Segunda, 04 de Dezembro de 2017, 14h36
  • Última atualização em Segunda, 04 de Dezembro de 2017, 15h48
  • Acessos: 198
imagem sem descrição.

A manhã desta segunda-feira, dia 4, foi marcada pelo incentivo a leitura, no Teatro Margarida Schivasappa, com a abertura do III Encontro de Bibliotecas Públicas e IV Encontro de Contadores de Histórias da Amazônia. O evento é promovido pela Fundação Cultural do Pará (FCP), composta por uma rica programação que vai até o dia 6 de dezembro.

Representantes de bibliotecas de todo o Estado estiveram presentes. Uma delas foi Edilza Pinheiro, profissional há nove anos da biblioteca Antônio Massoud Ruffiel, localizada no município de Inhangapi, próximo à Castanhal, nordeste paraense. Segundo ela, a importância de participar de um evento como este é levar mais aprendizagem ao seu município, conhecendo novas pessoas e novas ideias. “Sempre que participamos desses encontros, buscamos aprimorar cada vez mais nossa atuação dentro da biblioteca”, comentou.

Na abertura do Encontro estiveram presentes autoridades como Dina Oliveira, presidente da FCP, Guilherme Relvas, diretor do Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB) do Ministério da Cultura e o Secretário Municipal de Educação (SEMEC), Marcelo Mazzoli. Além de Daniela Greeb, do Instituto de Políticas Regionais (IPR) e Sônia Santos, do Movimento de Contadores de Histórias da Amazônia (MOCOHAM).

Segundo o Secretário Municipal de Educação, Marcelo Mazzoli, o Estado do Pará tem um enorme desafio de garantir a elevação dos níveis de aprendizagem, principalmente nas séries iniciais. E garantiu que qualquer plano municipal de educação, que não contemple de maneira decisiva a biblioteca, a oralidade como parte orgânica, não conseguirá alcançar o direito de aprendizado. “O que está na mesa é o direito de aprender. É importante também discutir o aspecto de saúde cultural que a biblioteca consegue promover ao compartir o conhecimento, da autoria e cidadania literária de todas as crianças e professores da rede”, afirmou.

Guilherme Relvas, diretor do DLLLB do Ministério da Cultura, afirmou que o trabalho que a FCP vem fazendo está sendo respeitado por instituições e profissionais, por meio de um trabalho colaborativo e de rede. “Esse encontro estadual é o resultado de atividades realizadas em 2017 que eu tive o prazer de participar, planejar e coordenar com toda uma equipe aqui. É um trabalho de rede que envolveu tanta gente que nem imaginávamos”, garantiu.

O Encontro atraiu a atenção de acadêmicos da área, como a estudante de Biblioteconomia da Universidade Federal do Pará (UFPA), Eliete de Nazaré, que procura conhecer a realidade das bibliotecas da capital e do interior. “Acho importante participar para ter um conhecimento da realidade e com isso poder cobrar medidas, melhorias e justamente para o espaço que considero importante, como a biblioteca”, afirmou.

registrado em:
Fim do conteúdo da página