Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade


destaque

Início do conteúdo da página

Esculturas Corporais Indígenas, de Francelino Mesquita

Publicado: Quinta, 26 de Novembro de 2020, 10h56 | Última atualização em Quinta, 26 de Novembro de 2020, 10h56 | Acessos: 519

chamada

Exposição "Exculturas Corporais Indígenas"

de Francelino Mesquita

 

Um dos principais traços da cultura amazônica é a presença do conhecimento indígena. Seu processo e desenvolvimento é milenar e rizomático, apresentando diferentes ramificações entre os povos, cuja origem no Pará prevalecem os Marajoaras, Tapajônicos e Maracá. Dentro da cultura indígena identificamos elementos significativos para a caracterização de cada grupo: a língua, as pinturas corporais, artes plumárias, cerâmicas, cestarias, a música, os ritos e festas, entre outros. Atualmente o estado possui aproximadamente trinta e nove povos indígenas, apresentando um patrimônio extremamente importante para o Brasil e para a humanidade.

A exposição “ESCULTURAS CORPORAIS INDÍGENAS” de Francelino Mesquita conversa com esse contexto histórico da formação da cultura indígena, com uma intenção de valorizar a importância social, do patrimônio histórico, econômico e artístico desses povos originários, criando um diálogo principalmente com pintura corporal, de traços geométricos, que representam a expressão ligada a diferentes manifestações culturais da sociedade indígena, que cria uma pintura específica para cada evento: caça, lutas, casamentos, ritos de passagem e morte. As esculturas trazem a representação do movimento desses grafismos nos corpus indígenas, apresentando literalmente a surrealidade de suas tradições gráficas, como se desprendessem da pele, em geometrias inertes como exoesqueletos, que dão forma a um legado ancestral.

O movimento das formas é um traço característico da obra de Mesquita, que traz do desenho arquitetônico, de sua formação técnica em edificações, o observar empírico do movimento da forma, do espaço e a ordens relacionadas aos elementos tridimensionais de suas obras, além da pesquisa artística e experimentação estrutural e orgânica dos materiais utilizados (miriti, cabaças, metais, papeis e etc).

Nessa exposição, as linhas estruturais de seus objetos agregam um refinamento, por propor à forma elementosmais subjetivos sobre a cultura étnica da qual ele também faz parte; ora pelos materiais usados ao longo de sua carreira artística (e em se tratando dessa exposição,a forja em metal de suas esculturas) ora pela ancestralidade cabocla, Francelino Mesquita apresenta para o público objetos com linhas que edificam sequências análogas às composições  genéticas, dimensões extrafísicas, muito próximas das camadas espirituais.

João Paulo do Amaral

 

 

corporais         esculturas       

 francelino  indigenas

 expogtb           fotoexpo

 

SERVIÇO:

Exposição: Esculturas Corporais Indígenas, de Francelino Mesquita

Abertura: 03 de agosto, às 08h

Visitação: 03 a 28 de agosto de 2020, de seg a sex, de 08h às 14h

Local: Galeria Theodoro Braga, Térreo/Centur, Av. Gentil Bittencourt, 650, Nazaré-Belém

Veja+

 

 

Fim do conteúdo da página