Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade



Início do conteúdo da página

Face a Face, de Alexandre Dantas

Publicado: Terça, 03 de Julho de 2018, 11h31 | Última atualização em Sexta, 03 de Maio de 2019, 11h34 | Acessos: 307

Exposição Face a Face, de Alexandre Dantas

faceaface

 

Face a Face

Cada imagem tem sua história, não revelada.”

Alexandre Dantas sobre Face a Face

“cobrir a cara não te livra da identidade:

antes sinaliza o alarde de teu anonimato

em meio à múltipla solidão.

a dolência coletiva de tanta cidade

pela sede que te invade as vestes

que inventastes em vão.”

Renato Torres, Identidade in Periférico, 2014.

 

Ao observarmos uma pintura podemos não nos dar conta, mas estamos, frequentemente, diante de um espelho não revelado. As imagens que figuram no espaço bidimensional podem também nos parecer imóveis, mas estão, de fato, em movimento: um segredo cinemático apenas possível ao “olho que transvê” (como quer Manoel de Barros), ou seja, ao olhar que detém a poesia. Falo aqui de um estado transigente, onde a obra e o observador chegam a um encontro de múltuas influências, produzindo seus interstícios, o que Richard Linklater (no filme “Antes do Amanhecer”) chama de magia possível do mundo: tentar entender e compartilhar algo com alguém.

Mas a pintura – a obra de arte, enfim – seria alguém? O que Alexandre Dantas propõe em sua nova mostra pode não responder a essa questão diretamente, mas determina de forma quase literal o espaço circunscrito da superfície pictórica como uma arena íntima de diálogos identitários. Sua série de retratos, que o artista desenvolve de maneira experimental desde O Toque da Luz (2009), passando por Outros Caminhos (2013) e Espontâneos (2014), representa um esforço investigativo de expressão humana, entre a celebridade e o anonimato, que nos entrega a reflexão material de uma virtualidade cotidiana, à qual estamos inexoravelmente ancorados. As redes sociais, e suas abstrações vaidosas, seu psiquismo complexo, a um só tempo afimando pretensamente as individualidades, e também as dissolvendo no caldeirão do insconsciente coletivo, podem aqui ser lidas num reflexo semovente, na água clara e lenta do lago de Narciso. As questões diversidades – entre muitas outras – podem encontrar aqui, no espaço entre as telas e os olhares, um silêncio eloquente.

Renato Torres

Poeta, músico e arte educador

Junho de 2018

 

ADantas2018a  ADantas2018b      

 

SERVIÇO:

Exposição: Face a Face de Alexandre Dantas

Abertura: 03 de julho de 2018, às 19h

Visitação: de 04 a 27 de julho de 2018, de segunda a sexta, das 9h às 18h

Local: Galeria Theodoro Braga, Térreo/Centur, Av Gentil Bittencourt, 650, Nazaré-Belém.

[veja+]

Fim do conteúdo da página