Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade



Início do conteúdo da página
Últimas notícias

FCP leva oficinas de arte e ofício até a Semana dos Povos Indígenas, em São Félix do Xingu

  • Publicado: Segunda, 16 de Abril de 2018, 10h21
  • Última atualização em Segunda, 16 de Abril de 2018, 10h27
  • Acessos: 187
imagem sem descrição.

A Semana dos Povos Indígenas reúne lideranças dos direitos dos índios, cultura e esporte até a próxima quinta-feira, 19 de abril, na cidade de São Felix do Xingú. A Fundação Cultural do Pará (FCP) contribui ao evento de diversas formas, em especial com oficinas de artes visuais. Uma equipe de instrutores da FCP está na cidade, desenvolvendo um laboratório com atividades de serigrafia, grafismo, desenho e estampa. A intenção é promover a criação, expressão e representação da cultura de cerca de cinco mil indígenas, de dez etnias diferentes, participantes da Semana.

A Semana dos Povos Indígenas é hoje o maior encontro anual de etnias indígenas do estado do Pará. Cristiano Amorin, coordenador de artes visuais da FCP, explica que essa diversidade vai ser essencial para a forma que as oficinas serão ministradas. “A principio vamos estudar os espaços e tribos, vai ser feita uma pesquisa das linguagens que eles usam”, disse. Para fomentar a troca de ideias, todas as oficinas serão realizadas num mesmo espaço, como um atelier. “Vamos ficar todos juntos no mesmo lugar, fazendo um grande laboratório”, pontua. O objetivo final é que o resultado seja exposto para todos que participarem do evento. “Queremos fazer uma culminância das oficinas em forma de apresentação para que eles possam ver o que produziram”, pontua.

Walter Figueiredo, diretor de interação cultural da FCP, conta que tudo isso faz parte de uma ação integrada do Estado com as prefeituras. “É uma ação por conta de um fórum de prefeitos, que elegeu esse lugar como fazendo parte da agenda Pará Sustentável”, conta. Os participantes vão aprender a fazer produtos, a exemplo de camisetas. “É muito mais que uma oficina, é um processo de troca e vivência cultural entre os indígenas e os não indígenas que participam da Semana”, pontua.

Durante a programação de cinco dias há uma variedade de atividades. No primeiro dia um debate sobre representatividade da mulher indígena será conduzido pelas maiores lideranças femininas do movimento do Brasil. Nesta segunda-feira, 16 será o início dos jogos esportivos, no dia seguinte será eleita a Miss Indígena e por fim, em 19 de abril, acontecem as finais das competições, caminhadas e a apresentação do resultado das oficinas.

registrado em:
Fim do conteúdo da página