Ir direto para menu de acessibilidade.

Opções de acessibilidade



Página inicial > Fundação Cultural do Estado do Pará
Início do conteúdo da página

 
Fundação Cultural do Pará
Fundação Cultural do Estado do Pará

Quarta, 09 de maio de 2018

Agenda alterada

Oficinas Curro Velho/ Casa da Linguagem - Maio

oficinas currovelho 052018

Local: Oficinas Curro Velho - Rua Professor Nelson Ribeiro, 287 / Casa da Linguagem, Avenida Nazaré, 31
  • Dia todo

O Boi que Brinca, A Mascarada de São Caetano de Odivelas

A brincadeira de boi de máscara, mais importante expressão popular do município de São Caetano de Odivelas, no nordeste paraense, é tema da exposição de abertura da Galeria Benedito Nunes, espaço que foi inaugurado na última quinta-feira (3).

A exposição “O Boi que brinca: a mascarada de São Caetano de Odivelas” pode ser visitada até o dia 30 de maio, de 9h as 18h. A entrada é franca. A Galeria fica no subsolo do prédio-sede da Fundação Cultural do Pará (FCP).

 

Agendamento de visitas: (91) 3202-4313

Local: Galeria Benedito Nunes
  • Dia todo

Encantarias da Ilha

encantariasCris Salgado, Flávia Souza, Pierre Azevedo, Roberta Brandão e Uirandê Gomes

As imagensda exposição coletiva Encantarias da Ilha nos deslocam para uma vinculação com o mundo permeada pelas relações de afeto construidascom as pessoas, lugares e hábitos da Ilha de Maiandeua, onde cinco artistas constroem um discurso de resistência cultural junto ao carimbó, as tradições e ao modo de vida dessas comunidades cercadas de mar

Programação de encerramento:

11/05/2018 - Encerramento


-18h30: Cine Encantaria: Exibição do documentário Mestres Praianos do Carimbó de Maiandeua.
-19h: Roda de conversa com os artistas expositores.
-20h: Carimbó.

Local: Galeria Theodoro Braga
  • Início: 09h00
  • Fim: 18h00

SESSÕES REGULARES | NO INTENSO AGORA, DE JOÃO MOREIRA SALLES

 

NO INTENSO AGORA

 

NO INTENSO AGORA | 2017 | BRA | João Moreira Salles | Documentário | COR | 127 min. | Livre

 

 

O documentário político traz através de imagens de arquivo, acontecimentos diferentes da década de 1960.  São abordados a revolta estudantil em Paris, a Primavera de Praga em meio a dominação da União Soviética e a China de 1966 sob o regime de Mao, momento vivido pela mãe do diretor na época.

 

03, 04 e 09/05 | 15h50

 

Inteira: R$ 12,00 | Meia: R$ 6,00

 

 
  
 

CINE LÍBERO LUXARDO 

FUNDAÇÃO CULTURAL DO ESTADO DO PARÁ 
Av. Gentil Bittencourt, 650 – Nazaré– Belém – PA | (91) 3202 4321

Artes visuais

Local: Cine Líbero Luxardo
  • Início: 15h50
  • Fim: 18h00

SESSÕES REGULARES | SEVERINA, DE FELIPE HIRSCH

 

SEVERINA

 

SEVERINA | 2017 | BRA / URU | Felipe Hirsch | Drama, Romance | COR | Vitrine Filmes | 103 min. | 14 anos | Legendado

 

 

A vida de um livreiro, melancólico e aspirante a escritor, é abalada por uma enigmática mulher que rouba em sua livraria. Logo ele se enreda no mistério de um amor delirante e obsessivo. Este filme é uma sondagem do efeito alienante do amor e do poder libertador do perdão. Baseado na obra de Rodrigo Rey Rosa. Seleção Oficial do Festival de Locarno 2017.

 

 

De 03 a 06 e 09/05 | 18h

 

Inteira: R$ 12,00 | Meia: R$ 6,00

 

 
 
  
 

CINE LÍBERO LUXARDO 

FUNDAÇÃO CULTURAL DO ESTADO DO PARÁ 
Av. Gentil Bittencourt, 650 – Nazaré– Belém – PA | (91) 3202 4321

Artes visuais

Local: Cine Líbero Luxardo
  • Início: 18h00
  • Fim: 20h00

SESSÕES REGULARES | EU, TONYA, DE CRAIG GILLESPIE

 

EU, TONYA

 

 

I, TONYA | 2017 | EUA | Craig Gillespie | Drama | COR | Califórnia Filmes | 120  min. | 12 anos | Legendado

 

 

 

 

Tonya Harding dominava o gelo com perícia sem rivais. Ela dominou as manchetes por algo totalmente diferente. "Eu, Tonya" é uma visão, às vezes, absurda, trágica e hilária de uma mulher no centro do maior escândalo na história do esporte nos Estados Unidos. 

 

 

 

De 03* a 06 e 09/05 | 20h

De 10 a 13 e 16/05 | 18h

*Projeto Plateia: Entrada franca para estudantes na sessão de estreia

 

 

Inteira: R$ 12,00 | Meia: R$ 6,00

 

 
 
  
 

CINE LÍBERO LUXARDO 

FUNDAÇÃO CULTURAL DO ESTADO DO PARÁ 
Av. Gentil Bittencourt, 650 – Nazaré– Belém – PA | (91) 3202 4321

Artes visuais

Local: Cine Líbero Luxardo
  • Início: 20h00
  • Fim: 22h00

O TEATRO MARGARIDA SCHIVASAPPA APRESENTA O PROJETO SELECIONADO NO EDITAL PAUTA LIVRE

“Conexão Amazônia - Márcio Jardim e Convidados”

05.Mai.09.2018

“Um concerto de percussão”. É assim que Márcio Jardim vem definindo os encontros musicais que terá no palco com Nazaco Gomes e Kleber Benigno, do Trio Manari, com os jovens percussionistas do grupo Jardim Percussivo, projeto de ensino de música que ele desenvolve na Pedreira, e com as instrumentistas e vocais do grupo “Tamboriara”, que atualmente produz, além do instrumentista e parceiro Jacinto Kahwage.

Acompanham o percussionista, dos músicos Edgar matos (teclado), Wesley (baixo) e William Jardim (guitarra). O projeto contemplado pelo Edital SEIVA Pauta Livre, da Fundação Cultural do Pará, marca os 20 anos de carreira de Márcio Jardim, revelando suas conexões musicais com compositores, músicos e interpretes. A direção musical é do próprio Márcio Jardim e a direção artística é do percussionista Carlos Canhão Brito. A produção é de Luciana Medeiros, pela Central de Produção e Blog Holofote Virtual.

O percussionista, nascido em família de músicos, começou seu contato com a percussão muito cedo através de rodas de samba em sua casa, seu primeiro palco. Iniciou seus estudos no conservatório "Carlos Gomes", na turma de percussão clássica e logo tornou membro do grupo de percussão da instituição. 

Passando a se dedicar na música, seu instrumento de escolha foi um pandeiro. Junto a Kleber Benigno e Nazaco Gomes iniciou um grupo de estudo, do qual surgiu o Trio Manari onde passaram a ser reconhecidos não somente no estado do Pará como também no Brasil e no Mundo. Protagonizando uma longa história musical.

Márcio Jardim transita, hoje, por diversos palcos e bastidores da música brasileira. Tem participação em gravações dos CDs de Lia Sophia, Patrícia Bastos, Nilson Chaves, Andréa Pinheiro, e do próprio Sebastião Tapajós, que ele acompanha constantemente nos shows, fazendo ainda a direção de 02 CDs do violonista (Aos da Guitarrada e Da Lapa ao Mascote). Já tocou com Fafá de Belém, Dante Ozete, Pepeu Gomes, Paulinho Moska, Celso Viáfora, Mestre Solano entre muitos outros.

Admirado pelo vasto conhecimento nos ritmos da Amazônia e África, Márcio conta com participação em mais de 120 discos, além de marcar presença em DVDs, shows e apresentações em todo o Brasil e alguns países da Europa e Américas. Participou também de grandes eventos musicais como o Brazilian Day, Festival de Jazz da Guiana Francesa, Festival de Jazz da Alemanha, Percussive Arts Society International Convention e recentemente do Brazil Summerfest com a cantora Lia Sophia em New York.

Apoio: Edital Pauta Livre - SEIVA, Fundação Cultural do Pará, ProMusic, Midas Amazon Studio,UEPA,GUIART e Cultura Rede de Comunicação, Núcleo de Conexões Na Figueredo. Comunicação: Holofote Virtual. Realização: Central de Produção.

SOBRE OS CONVIDADOS

Trio Manari

Com 15 anos de carreira completados no ano passado, o trio formado por Kleber Benigno, Márcio Jardim e Nazaco Gomes mergulha na sonoridade amazônica, reunindo as influências das músicas negra e índia e do universo do cabloco marajoara e de suas crenças como sendo o corpo de sua musicalidade. A marca plural da canção percussão do Manari gera constantes diálogos entre músicos da Amazônia e de todo o país, mantendo a pesquisa como principal norte de seu trabalho.

Formado a partir do grupo Percussão Brasil, que fez turnê pelo Canadá no ano 2000, o Trio Manari também vem ministrado oficinas de percussão, levando teoria musical e manipulação de instrumentos para jovens e adultos em vários projetos. Os ritmos tradicionais da região como o carimbó, o lundu e o samba de cacete, viram objetos de estudo para os alunos, que são incentivados a criar uma sonoridade própria a partir deles.

Jacinto Kahwage

Um dos grandes parceiros de Márcio Jardim. Juntos já gravaram inúmeros discos e tem parcerias em composições. Possui graduação em Música pela Universidade do Estado do Pará (2014), com Pós Graduação da Universidade Federal do Pará. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Composição Musical, atuando principalmente nos seguintes temas: interpretação, supervisão técnica, gravação, mixagem e arranjo.

Tamboiara

“Tamboiara” é um coletivo de mulheres oriundo de diversos projetos da capital paraense, como “Flôr D’Tambor” e “Mãos D’Mulher”, do espaço cultural Etnias, além do Arraial do Pabulagem, Cabloco Muderno, Tambor e Corda, “Orquestra de Choro do Pará”, da Fundação Cultural do Pará, idealizado por Jaime Bibas e Paulo Moura, e “Pará Caribe”, de Iva Rothe, cantora e compositora, e o percussionista Nazaco Gomes.

A formação atual é composta por nove mulheres com direção musical do produtor e músico Márcio Jardim. O “Tamboiara” trabalha na perspectiva de constituir uma sonoridade brasileira amazônica, que tem como objetivo o estudo e pesquisa dos ritmos amazônicos, como o carimbó, lundum, quadrilha, retumbão, batuque e marabaixo. Ritmos que estarão presentes no primeiro EP autoral do grupo.

Jardim Percussivo

Toda a música popular brasileira foi intensamente influenciada por ritmos, sons, instrumentos, cantos e melodias de origem africana. Entre esses povos, a música sempre teve uma função social e religiosa. Durante os séculos, a população escrava só podia recorrer mesmo ao canto à dança como diversão. Mais que isso, no entanto, foi por intermédio dessas reuniões para cantar e dançar que o negro, de uma outra forma, manteve sua cultura, sua união, sua identidade.

E foi mergulhando nessas influências afro-amazônicas que o músico percussionista e compositor paraense Márcio Jardim deu início ao seu novo projeto intitulado JARDIM PERCUSSIVO. Hoje o grupo já tem vídeo clipes gravados e um CD, lançado em dezembro do ano passado. É formado por 11 jovens percussionistas que estudaram com Márcio Jardim.

Ficha Técnica

Direção Musical: Márcio Jardim

Direção Artística: Carlos “Canhão”

Produção: Luciana Medeiros e Carlos “Canhão”

Técnico de Pa: Silvio Amorim;

Técnico de Monitor: Sérgio Brito,

Iluminação: Cláudio Castro;

Roadie: Paulo Henrique

Músicos

Márcio Jardim - Percussão

Jacinto Khawage - Teclado

Wesley Jarim – Contrabaixo

William Jardim – Guitarra

Edgar Matos - Teclados

MÚSICOS CONVIDADOS

Jacinto Kahwage - Midas Amazon Studio

Trio Manari: Nazaco Gomes – Percussão e Kleber Benigno - Percussão

Tamboiara: Simone Viana - curimbó/backing vocal; Tâmara Aviz - curimbó/backing vocal; Néia Silva - curimbó; Roberta Evi - banjo; Ana Terra - matraca; Antônia Costeseque - maracas; Ludimila Maia - reco; Verena Brito - flauta; Luana Alves - vocal;

Jardim Percussivo: Jonielson Lopes, Lucas Magalhães, Tâmara Aviz, Marcelino Santos, Katarina Chaves, Gabriel Gomes.

Importante: A distribuição dos ingressos para pessoas com direito à gratuidade será no dia do evento a partir das 14h, na bilheteria do Teatro mediante comprovação do direito por meio de documentos.

- A venda na bilheteria do Teatro começa às 14h no dia do evento

Dia: 09 de Maio de 2018

Sessão: 20h        

Classificação Indicativa: Livre

Valor do Ingresso: R$: 20,00 (Inteira)

R$: 10,00 (Meia)

Serviço:

“Conexão Amazônia - Márcio Jardim e Convidados”. Dia 9 de maio, às 20h, no Teatro Margarida Schivasappa do Centur. Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia), antecipados no Núcleo de Conexões Ná Figueredo - Av. Gentil, com Benjamin Constant. Na bilheteria do teatro, no dia da apresentação, a partir das 14h. Apoio: Edital Pauta Livre, ProMusic, Midas Amazon Studio, Portal Guiart, Cultura Rede de Comunicação e Rádio Cultura do Pará, UEPA, Na Figueredo.

Local: TEATRO MARGARIDA SCHIVAZAPPA
  • Início: 20h00
  • Fim: 22h00

Agenda

Busca de agenda

Faça buscas de agenda por palavras-chave

Fim do conteúdo da página